Atividades extras também dialogam com a exposição Erwin Wurm – O corpo é a casa e com o Patrimônio do CCBB
  

 

Negra Urbana

Encontro mensal pensado pelas educadoras negras do CCBB Educativo com o intuito de ocupar esse espaço com discussões que envolvem a mulher negra no cotidiano da cidade. Pensando no mês da Consciência Negra, o Negra Urbana convida para uma reflexão sobre a protagonismo feminino no processo de resistência histórico, cultural e na construção identitária do negro no Brasil.

Convidadas para o encontro:

Tatiana Henrique

Tatiana Henrique, atriz e performer, envolvida com arte-educação atua com contação de histórias há 15 anos, tendo desenvolvido sua pesquisa cênica na linguagem corporal em contos e mitologias ameríndias, africanas e indianas. Tatiana diz SriLaroyê! antes de entrar em qualquer palco, pede ajuda às Iyabás para cuidar de seus filhos Agnes e Apolo, tenta contar histórias com a mesma memória que Orumilá guarda seus odus e agradece a Om Obatalá todos os dias por ser sua filha e atravessar as voltas que o mundo-samsara dá.

Iléa Ferraz

Artista multimídia, atriz, cantora, diretora,  artista visual e produtora. Com mais de 30 anos de carreira. Foi indicada ao Prêmio Shell de Teatro de melhor atriz em 2003, com o espetáculo “Nunca pensei que ia ver esse Dia”. Entre seus principais trabalhos no teatro destacam-se: Nunca Pensei que ia ver esse dia, o monólogo musical O Cheiro da Feijoada, Os Negros, Hamlet é Negro e Besouro Cordão de Ouro. Em televisão atuou entre outras, nas novelas:  Helena,  Pacto de Sangue, Chica da Silva, A Padroeira e Império. Dirigiu o docudrama: Enquanto Viver Luto. É realizadora da Mimunegra – Mostra Internacional de Arte da Mulher Negra. Ilustrou entre outros, os livros: Chica da Silva A Mulher que Inventou o Mar, Os Nove Pentes D’África e as Capas dos livros: Só as Mulheres Sangram e insubmissas Lágrimas de Mulheres.

Sábado, dia 18 de novembro.

Horário: 17h.

Local: Primeiro andar (sala do Programa Educativo)

Senhas distribuídas 30 min antes no Programa Educativo, 1º andar.

Vagas limitadas.

Classificação indicativa: Livre

 

Performance

Eliete Miranda

Atriz, bailarina, empreendedora, produtora cultural, coreógrafa, preparadora corporal e professora de dança Afro. Recentemente esteve na Colômbia como convidada para o Festival Internacional de Expressão Colômbia Negra.

Proposta de Performance: “Resistência e resistência ancestral” – Fala de uma força que a mulher negra tem que buscar através de um poder feminino ancestral e da coragem.

Domingo 19 de novembro

Horário: 12:30 às 14h

Local: Térreo do CCBB

Classificação indicativa: Livre

 

Rafael Bandeira

Educador do programa educativo, Rafael é estudante de artes visuais e dedica suas pesquisas sobre performance, sociedade, raça e gênero.

Domingo 20 de novembro

Horário: 14h às 15:30

Local: Térreo do CCBB

Classificação indicativa: Livre

 

Laboratório Aberto Especial

O imaginário e a cultura de diversos países africanos se encontrarão nessa atividade, onde vamos estimular a criatividade do público construindo bonecas e universos de brincadeira.

Sábado e domingo- 19 e 20 de novembro

Horário: 15h às 17h

Local: Térreo do CCBB

Classificação indicativa: Livre

 

Contação de histórias

Dando continuidade ao debate sobre representatividade, na atividade Contação de histórias… as histórias ganharam protagonismo negro, na busca de evidenciar que existem príncipes de todas as cores, princesas em diferentes etnias, coroas de todos os tipos e sereias em diferentes mares.

Horário:

Dia 18, 19 e 20 – 11h e 16h.

Classificação indicativa: Livre

Local: Programa Educativo, 1º andar

Senhas distribuídas 30 min antes no Programa Educativo, 1º andar.

 

Roda de Coco – Oficina

O grupo Bombo da Norte realiza, não apenas uma roda de coco, mas também utiliza este brinquedo ancestral como ferramenta de reflexão, resistência e empoderamento.

A atividade consiste em uma roda de conversa sobre o coco, a ancestralidade e a partir disto introduz as movimentações corporais do brinquedo formando uma roda com todos os participantes.

Formado inicialmente por três jovens negros, oriundos da periferia carioca, espaço conhecido por “zona norte”, o grupo Bombo da Norte se propõe a investigar as múltiplas faces da música afro-brasileira, tendo como ponto de partida o samba de coco. Para além da música, o grupo atua no campo da educação e da promoção da igualdade (em especial a racial) por meio da arte.

Horário:13h

Dia 20 de novembro.

Local: Térreo do CCBB

 

Programação Geral:

Consulte o site oficial do CCBB-RJ para mais informações sobre o Curso livre – Tropicália: uma rebelião na culturaEspaço Sensorial – Corpo Permitido; Música Encena – O corpo é a casa; Visitas Mediadas (grupos agendados, não agendados, em LIBRAS, público com deficiência visual ou baixa visão)Visita agendada com grupos de acessibilidade; Visita Agendada Pequenas Mãos; Visita Mediada Espontânea Pequenas Mãos (para crianças de 3 a 6 anos) e Pequeníssimas Mãos (para bebês que não andam e que já andam); Visitas Teatralizadas; Livro Vivo; Contação de Histórias e Laboratório Aberto.

http://culturabancodobrasil.com.br/portal/rio-de-janeiro

Fonte: Assessoria de imprensa

Foto: Divulgação da internet

rfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-slide